domingo, 20 de fevereiro de 2011

Gonin Ish


Nome da banda: Gonin Ish
Estilo Musical: Death Metal (Beeeeeem) Progressivo.




Acho que uma das coisas que mais gosto de fazer é procurar bandas de rock ou metal em geral que tenham um estilo próprio e que criam atmosferas que nos levam à sensações que nunca tivemos antes.
Sim, a música funciona como um alucinógeno para mim. E acontece exatamente isso todas as vezes que eu ouço "Gonin Ish".

Quando os vi pela primeira vez, logo compreendi a virtuose maluca que estava por vir.
Com uma guitarra de sete cordas que usa bases muito quebradas e diversas distorções, solos virtuosos e cheios de feeling, uma bateria típica do prog metal, um contrabaixo muito criativo e expressivo, um teclado com bases de jazz, música enka, progressivo, (solos A LA Jordan Rudess do Dream Theater) e um vocal feminino que mescla o estilo Enka com o gutural do Death Metal, o "Gonin Ish" é uma experiência para aqueles que gostam de ouvir e estudar uma boa música complexa.

Com um objetivo literário, as letras de "Gonin Ish" são produzidas em um estilo de escrita que poderíamos chamar aqui de "arcaico" (no sentido de riqueza histórica).
Eles compõem histórias que falam sobre fábulas e folclore do antigo Japão, os ideogramas utilizados para as composições são de complexa tradução até mesmo para os japoneses devido a linguagem muito rebuscada. As músicas são, normalmente, muito extensas chegando a ter, no caso da maior delas, 19 minutos.

É importante dizer que com exceção das baladas (que são pouquíssimas) "Gonin Ish" não é uma banda que se enquadra no mundo dos (otakus e cosplayers), eles fazem parte do metal independente do Japão e até mesmo por lá eles não são muito conhecidos.
Por isso, algumas demos podem ser encontradas com uma mixagem não muito boa, mas ainda sim você poderá aproveitar muito bem o som deles.

A banda foi formada entre 1999 e 2000 e fora os EP e pequenos lançamentos, o "Gonin Ish"tem apenas dois álbuns e para aqueles que gostarem do som da banda, a informação é que eles estão produzindo seu terceiro álbum para ainda este ano.

O tecladista Momota (líder da banda ao lado da vocalista) disse que a demora da produção do álbum será retribuída com um álbum ainda mais complexo que o último "Naishikyo-Sekai". Que "na minha humilde opinião" foi um dos álbuns mais complexos que já escutei até hoje. (lembre-se, você pode ter uma opinião diferente da minha ^^).


Pontos Negativos: É muito difícil encontrar materiais sobre a banda, eu consegui com muita dificuldade baixar os dois álbuns e logo mais os disponibilizarei no 4shared.com (uma vez que não existe venda do CD fora do Japão nem por internet).


(versão do site em inglês)

(somente audio "virtuose")

۰Vídeo da banda ao vivo: http://www.youtube.com/watch?v=84PE-vPQd8g



Espero que tenham gostado!



By Felipe Hänsell
Twitter: @felipehansell

gonin_gray.jpggonin_gray.jpg
43K   Visualizar   Baixar  
YouTube - Vídeos desse e-mail

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

ReVamp


Com o fim do After Forever muitos imaginaram que Floor Jansen seguiria em carreira solo.
Para a surpresa destes Floor montou uma nova banda que surpreendeu também pela sonoridade, 
bem mais pesada do que a do After Forever.



A banda foi formada ainda em 2009 com Floor nos vocais, Jaap Melman (Dreadlock Pussy, Pendejo) no baixo, Matthias Landes (Dark Fortress) na bateria, Arjan Rijnem (Pendejo) e Jord Otto nas guitarras e Rubem Wijga (Insomnia) nos teclados.



A música do ReVamp não é apenas uma continuação da carreira de Floor, os integrantes do ReVamp compõe juntamente com ela, o que faz o som da banda ter uma identidade única e bem diferente do que uma simples continuação do que Floor já fazia no After Forever. Embora ainda existam partes líricas e mais melódicas. No ReVamp, Floor explora sua voz de uma forma mais intensa e agressiva... Que diga-se de passagem, combina muito mais com ela e com seu atual estilo.

O nome ReVamp é uma criação que tem o significado de Recomeço: "Re" (de recomeçar) e "Vamp" (que segundo a vocalista tem significado de mulher forte e determinada). Segundo Floor em algumas entrevistas esse nome foi o primeiro que ela pensou quando decidiu montar a banda e acabou grudando em sua mente. Aliás nome muito bem escolhido!





 

Bem, quem me conhece vai dizer que eu sou suspeita pra falar da Floor Jansen, uma vez que sempre foi uma das minhas vocalistas preferidas, tanto pela voz quanto pela atitude dentro e fora do palco. Mas se você achar que eu estou exagerando é só ouvir o Debut Autointitulado e logo vai ver que eu não estou exagerando quando escrevo que são as músicas mais intensas da carreira dela!


As letras são tão intensas quanto o som, vou deixar aqui uma das letras que eu achei mais legal, "Sweet Curse":

Sweet Curse

It's a burden for wrong reasons
But I keep hold of this pain
No more tears but common sorrow
Yet it wears of day by day
Letting go: I never could but I surely need to heal
Sweet curse, my hell

You bare our memories like staining scars within your mind
You lose all that you knew of me, gone deep inside
Lost love, my hell

Sweet is the curse of hearts entwined but lost, detached but bound
Sad is their fate without relief
Cruel is the curse of love, so luscious yet so dangerous
Sweet curse, our hell

Words weren't made to tell this story
For I can't describe the ache
No remorse for your betrayal
Yet though I find that hard to take
How can beauty change unseen into a monster, I don't know
Lost love is my hell

Sweet is the curse of hearts entwined but lost, detached but bound
Sad is their fate without relief
Cruel is the curse of love, so luscious yet so dangerous
Sweet curse, our hell

Lost hope and lost dreams
Killing you slowly
New scars and new cravings take control
(New desires, new despair)

Losing you was more than I could bear
Losing us, a dive in water deep
Losing you

Sweet is the curse of hearts entwined but lost, detached but bound
Sad is their fate without relief
Cruel is the curse of love, so luscious yet so dangerous
Sweet curse, our hell


Doce Maldição

Isto é um peso por razões erradas
Mas eu continuo a manter esta dor
Sem mais lágrimas, mas com uma tristeza mútua
No entanto, ela persiste dia após dia
Deixar ir: eu nunca pude, mas eu certamente preciso me curar
Doce maldição, meu inferno

Você levou as nossas memórias como cicatrizes manchadas dentro da sua mente
Você perdeu tudo o que sabia de mim, perdido profundamente
Amor perdido, o meu inferno

Doce é a maldição de corações entrelaçados, mas perdidos, separados, mas ligados
Tristes são seus destinos sem alívio
Cruel é a maldição do amor, tão deliciosa e ainda tão perigosa
Doce maldição, nosso inferno

Palavras não foram feitas para contar esta história
Pois eu não posso descrever a dor
Sem remorso por sua traição
No entanto, eu acho difícil de aceitar
Como pode a beleza se transformar imperceptivelmente em um monstro, eu não sei
O amor perdido é meu inferno

Doce é a maldição de corações entrelaçados, mas perdidos, separados, mas ligados
Tristes são seus destinos sem alívio
Cruel é a maldição do amor, tão deliciosa e ainda tão perigosa
Doce maldição, nosso inferno

Esperança perdida e sonhos perdidos
Matando você lentamente
Novas cicatrizes e novos anseios assumem o controle
(Novos desejos, novo desespero)

Perder você foi mais do que eu poderia suportar
Nos perder, um mergulho em águas profundas
Perder você

Doce é a maldição de corações entrelaçados, mas perdidos, separados, mas ligados
Tristes são seus destinos sem alívio


Cruel é a maldição do amor, tão deliciosa e ainda tão perigosa
Doce maldição, nosso inferno


By Youkai


Pra quem quiser conhecer mais:

Site de fãs dedicado a carreira da Floor:

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

TCC sobre ROCK II - aulas mais divertidas


Eu e a Selene conhecemos a Youkai na faculdade por termos alguns amigos em comum. Além das amizades tínhamos em comum o gosto pela música pesada e pelos desenhos.
Youkai assim que soube do tema do nosso TCC se prontificou a ajudar. Em inúmeras conversas nossas surgiam idéias e mais idéias do que fazer, quais bandas abordar etc.
Como ela cursava Matemática e não poderia estar exatamente em nosso grupo, tínhamos a idéia de fazer este trabalho render mais frutos, onde principalmente pudéssemos falar mais sobre o Heavy Metal.

Em Novembro de 2010 finalmente nosso TCC estava finalizado! Futuramente disponibilizaremos nosso trabalho integralmente aqui.
O início do trabalho pode contar com uma experiência pessoal minha, a do “Self-Study”. Assim como eu, muitas pessoas praticam este auto estudo de língua inglesa sem nem mesmo perceberem, principalmente quando estão em inicial interesse por uma segunda língua.
Esta prática é extremamente comum em nosso dia a dia, por exemplo, você decide traduzir um texto ou letra de música sozinha ou então ouve repetidas vezes uma música para imitar/aprender a pronúncia.
Também entrevistamos alunos de 6° e 7° ano para averiguar como anda o ensino de língua estrangeira atualmente em nossa região (Minas Gerais), pois em nossas épocas de ginásio/colégio a grande maioria dos professores 'apenas seguiam o livro didático’, dando exaustivos exercícios de completar frases com um ou outro pronome, cópias e traduções de textos. Ou seja, aulas monótonas e pouco eficazes no entendimento da gramática, estrutura e contexto da língua inglesa.
E infelizmente esta ‘antiga’ forma de ensino ainda impera nas salas de aula, por isso em nosso trabalho há a preocupação em como transmitir conteúdo de forma mais eficaz e divertida aos alunos.
Uma das possíveis soluções para um ensino mais interessante é a música (independente do gênero). A Ciência já comprovou há tempos os inúmeros benefícios que a música faz à mente e ao corpo. A música também pode ajudar a solucionar o distanciamento que há entre professores e alunos e de alunos com alunos. A música é uma linguagem universal, muitas vezes ao nos depararmos com músicas em outras línguas, sem nem mesmo ter uma real noção do que a letra está falando e podemos nos identificar com ela, essa identificação também pode aproximar pessoas, aumentando assim a tolerância (algo muito em falta em nossa sociedade). Podemos usar diversas letras para reflexão dentro de sala de aula, assim possibilitando ao aluno uma ampliação mental sobre o mundo, sobre as pessoas que os rodeiam e sobre si mesmos. 
Promover dinâmicas em sala de aula com diferentes músicas é capaz de motivar os alunos a fazerem seu melhor, ajuda a desinibir os tímidos e criar um ambiente totalmente favorável e receptivo.
Esperamos que cada vez mais os profissionais de educação acordem para isto e tomem a coragem de fazer diferente em meio à saturação da rotina escolar. 

By Harumi